VEJA: Após dois meses de investigação, a Polícia Civil concluiu que Daniella Martins, de 24 anos, encomendou a morte do ex-namorado

Depois de quase dois meses de investigação, a Polícia Civil concluiu que Daniella Martins, de 24 anos, encomendou a morte do ex-namorado, o personal trainer Leison Rocha, por R$ 400. Segundo informações divulgadas pela irmã dele, a motivação foi o fim do relacionamento. A mandante ainda se aproximou da família depois do crime, fingindo sofrimento.

Foto: Daniella Martins

Um sócio de Leison estava com ele na emboscada e também acabou executado, mesmo não sendo alvo. Os dois foram assassinados , em Vicente Pires, no dia 12 de dezembro de 2018.

Foto: Júnior Araújo
PCDF prende a mandante de latrocínio no Assentamento 26 de Setembro

A Polícia Civil do Distrito Federal — PCDF, por intermédio da 38ª DP, após aproximadamente dois meses de investigação, a partir da localização dos corpos degolados de duas vítimas na área rural do Assentamento 26 de Setembro, em Vicente Pires, prendeu preventivamente, na última quarta-feira, 20, D.O.M., 24 anos, última envolvida solta e mandante do bárbaro crime de duplo latrocínio ocorrido em dezembro.

Foto: Daniella Martins

Segundo a investigação, três homens, já presos preventivamente, teriam sido contratados por D.O.M. para roubarem os tênis que as vítimas comercializavam e depois matá-las, pois um dos homens mortos teria uma desavença com a mandante do crime.

O grupo, após informações repassadas pela presa, simulou interesse em comprar vários pares de tênis e pediram que eles fossem até uma casa, local onde foram amarrados e levados até a zona rural de Vicente Pires, no bagageiro do veículo das vítimas.

Os executores degolaram e abandonaram as vítimas, fugindo no veículo e subtraindo dinheiro, objetos de valor e os vários pares de tênis. A faca utilizada no sádico delito também foi apreendida pela equipe policial e, com isso, foi finalizada a complexa investigação que identificou e prendeu todos os envolvidos.

Divisão de Comunicação/DGPC
#PCDFemAção
#PCDFAgora
#PCDFemCombate
PCDF, excelência na investigação.

A irmã de Leison, Luciane Rocha, contou nas redes sociais que a suspeita foi ao enterro e trocou mensagens sobre a morte. “Veio na minha casa, abraçou a minha mãe, chorou nos pés do meu irmão no dia do velório. Me mandou diversas mensagens, querendo saber se as investigações estavam se encaminhando”, relatou.

Foto: Daniella Martins

Ainda de acordo com a irmã da vítima, Daniella tentou reatar o namoro várias vezes, sem sucesso. Essa teria sido a motivação para o crime.

“Leison pagou a faculdade, pagou viagens, pagava cartão de crédito dessa criminosa. Fazia tudo que podia e o que não podia. Deixou de falar com muita gente por conta do ciúme doentio dela, tentava afastá-lo da própria filha”, descreveu Luciane.

Luciane Rocha

Foto: Daniella Martins

O inimigo mora ao lado. Às vezes está mais próximo do que podemos imaginar. A pessoa que meu irmão tanto amou, tanto protegeu, tanto cuidou e defendeu. A pessoa que se vitimizava, manipulava, dramatizava… 
Leison pagou a faculdade, pagou viagens, pagava cartão de crédito dessa criminosa. Fazia tudo que podia e o que não podia. Deixou de falar com muita gente por conta do ciúme doentio dela, tentava afastá-lo da própria filha.
Se já era difícil acreditar no ser humano, hoje é impossível. ACABOU COM A VIDA DE DUAS FAMÍLIAS. Tirou a vida de dois homens de família, de duas pessoas do bem. Pessoas que não faziam mal pra ninguém. Tirou o direito de pais presentes criarem seus filhos. Tirou o direito dos filhos crescerem com os pais.
Veio na minha casa, abraçou a minha mãe, chorou nos pés do meu irmão no dia do velório.
Me mandou diversas mensagens querendo saber se as investigações estavam se encaminhando. Fingiu choro quando contamos pra Lolo o que aconteceu com o pai dela.
Uma falsa, dissimulada. Quando Leison resolveu dar um fim nesse relacionamento, ela tentou por diversas vezes reatar, foi bloqueada de todas as redes sociais. Quando viu que não tinha mais jeito, resolveu encomendar a morte dele. Tenta de todo jeito convencer que era agredida por ele, quem o conhece de verdade sabe que isso é mentira.
Quem estava preocupado com o sumiço dessa demônia, pode procurá-la na penitenciária nos dias de visita, no local onde espero que ela passe o resto de sua vida medíocre.

(Luciane Rocha)

Fonte: Redação/Policia civil-DF

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here