quinta-feira destino do deputado distrital José Gomes

O parlamentar é suspeito de abuso de poder econômico durante o período em que era candidato

Foi marcada para a próxima quinta-feira (11/4) a audiência que deve decidir o futuro do mandato do deputado distrital José Gomes (PSB). A data foi conformada nesta segunda-feira (8/4), com publicação no Diário da Justiça Eleitoral (DJE). Gomes é alvo de investigação por suspeita de abuso de poder econômico. Proprietário da empresa Real JG serviços terceirizados, o então candidato teria coagido funcionários para que votassem nele nas últimas eleições.

A última audiência, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), em 19 de março, acabou suspensa após pedido de vistas do desembargador Telson Ferreira para análise do processo. Três magistrados haviam votado a favor da cassação do parlamentar antes do adiamento.
No dia da audiência, a defesa do distrital alegou que as gravações de Douglas Laet, gerente da empresa e primo de José Gomes, não comprovam nenhuma coação ou intimidação por voto. “Isso foi, na verdade, uma retaliação à candidatura do José Gomes”, argumentou o advogado, Cleber Lopes.
O procurador regional eleitoral José Jairo defende que houve, sim, abuso de poder econômico e coação. “Ocorreram reuniões com os funcionários da empresa em que eles foram coagidos a manifestarem o seu voto ao proprietário da empresa”, reforçou.

Investigação

Continua depois da publicidade

O processo foi aberto no TRE a partir de uma representação apresentada pelo deputado distrital Chico Vigilante (PT), antes mesmo da eleição. O parlamentar recebeu denúncias de dezenas de empregados da Real JG Serviços Gerais, com relatos de supostas pressões para que os terceirizados votassem em José Gomes.
A representação tinha gravações de reuniões em que altos funcionários da empresa cobravam os trabalhadores sobre a escolha do concorrente a distrital.
Fonte: CB/Gabriela Sales

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here