Com o preço alto da carne bovina Brasileiros reclamam a falta da carne e vira meme nas redes sociais

Com a alta, brasileiros reclamam o preço nas casas de carne bovinas e especialistas explicam

A valorização da carne bovina desde o ano passado foi sentida pelo consumidor, que está mais conservador nas compras. Nos últimos doze meses, o produto se valorizou, em média, 26,1% no atacado. No varejo, a alta foi de 14,1%. Ao mesmo tempo, o quilo do frango no atacado subiu 10,6% e 11,2% no varejo. A carne de frango ficou mais competitiva em relação à carne bovina. A população mais pobre que não puder arcar com os novos preços da carne bovina acaba buscando alternativas mais baratas de proteína, como os ovos, o frango e o porco. O aumento da demanda dessas categorias também representa, de imediato, a alta de preços. De acordo com um estudo de pesquisadores do Cepea, o preço da carne suína atingiu recordes nominais desde julho de 2010. Descontada a inflação, a carne suína em Minas Gerais alcançou o maior valor desde janeiro, enquanto em São Paulo o produto atingiu o maior preço desde fevereiro de 2017. Houve recorde também nos Estados da região Sul, com carne mais cara desde janeiro de 2015

Preço do churrasco cada vez mais alto

Se o preço da carne parece não parar de subir nos últimos meses, é preciso se preparar para reajustes ainda maiores daqui para frente. A carne apresentou em setembro, alta na inflação de 3,7% (a maior desde outubro do ano passado), a carne tende a continuar em elevação nos próximos meses. Boa parte da alta do produto, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é atribuída ao aumento das exportações à China e à Rússia. O mercado russo suspendeu neste ano as compras dos Estados Unidos e da União Europeia e aumentou os negócios com o Brasil.

Restou só lembrança!!

Publicado por Apostilas Santos Santos em Sábado, 30 de novembro de 2019

Fonte: Blog A voz do Povo-DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here