Atletas olímpicos comemoram apoio e vão em busca das últimas vagas

  Tóquio está logo ali. Em 2020, atletas olímpicos iniciam, a partir do dia 24 de julho, suas caminhadas rumo à medalha na capital japonesa.

O encontro marcou o anúncio de uma renovação de parceria entre esses atletas e a montadora de automóveis Nissan, para 2020. Estiveram presentes Petrucio Ferreira (recordista mundial paralímpico dos 100 m rasos na categoria T47), a dupla Ágatha e Duda (campeã mundial de vôlei de praia em 2018), Jane Karla Rodrigues (medalhista pan-americana de tiro com arco), o paracanoísta Caio Ribeiro (bronze na Rio-2016), Ygor Coelho (primeiro brasileiro a ir à Olimpíada no Badminton), a nadadora Susana Schnarndorf (campeã mundial paralímpica nos 100 m peito em 2013), a corredora Verônica Hipólito (prata e bronze nos Jogos paralímpicos do Rio), e o ex-paratleta Clodoaldo Silva (14 medalhas paralímpicas na natação).

Com a renovação do patrocínio, os atletas fizeram questão de ressaltar a importância de investir no esporte. “Levei um susto quando decidiram renovar o patrocínio após a Olimpíada do Rio. É muito difícil fechar uma parceria logo no início do ciclo olímpico”, disse Ágatha Bednarczuk, medalha de prata ao lado de Bárbara Seixas em 2016.

Estrela do esporte brasileiro, Petrúcio Ferreira, que concorre ao prêmio de melhor atleta paralímpico em 2020, defendeu sua classe, justificando a aposta dos investidores nela. “Eu costumo dizer que não somos deficientes, somos eficientes. E provamos isso todos os dias”, resumiu.

Luta por vaga

Entre os atletas que estiveram no encontro, alguns já estão classificados. Ágatha e Duda conquistaram o direito de disputar a Olimpíada por terem sido uma das duas melhores parcerias brasileiras no Circuito Mundial de 2019. Já Petrúcio alcançou os índices, e irá representar o Brasil nas provas dos 100 e 400 metros rasos. Enquanto isso, Caio Ribeiro, da paracanoagem, levou a vaga com a prata no Mundial do ano passado.

Entre os que ainda precisam garantir vaga está Verônica Hipólito, que está a cinco décimos de segundo de alcançar o índice nas provas dos 100 e 400 metros rasos, na categoria T38. Ygor Coelho, do badminton, precisa se manter entre os 40 melhores no ranking olímpico até o final de abril. Atualmente, ele ocupa a 24ª posição, e ainda disputará sete competições até lá. E Susana Schnarndorf, da natação paralímpica, precisa alcançar o índice da classe S4 no Open de atletismo e natação, que acontece entre os dias 23 e 28 de março, em São Paulo.

Com informações BLOG A VOZ DO POVO-DF

Fonte: A tarde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here