ESPANHA: Segundo os dados mais recentes, o número de infecções é superior a 35.000, enquanto as mortes chegam a 2.229 pessoas

Mais de 35.000 infecções e 2.229 mortes na Espanha

Pacientes com coronavírus começaram a chegar a Ifema no domingo.  EFE

O número de infectados por coronavírus na Espanha já excede a barreira de 35.000 infecções. Desde que a primeira infecção foi registrada no final de fevereiro, no município de Adeje (Tenerife), 2.229 outras pessoas morreram de uma pandemia que já deixou mais de 380.000 infecções em 185 países ao redor do mundo. 

O Ministério da Saúde reconheceu na segunda-feira que a epidemia poderia estar se aproximando do pico da curva de contágio, o que significaria que a partir daí o número de pessoas afetadas diminuiria gradualmente.

Conforme explicado pelo porta-voz do governo durante a crise da saúde, Fernando Simón, essa curva está “suavizando”, embora ainda não seja possível certificar se a Espanha já chegou ou não. 

Health explica que a curva de contágio está “amolecendo”

O diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergências em Saúde, Fernando Simón , explicou nesta segunda-feira que, “sem lançar os sinos na hora”, a curva de infecções por coronavírus  está “amolecendo”, o que significaria que a Espanha está se aproximando do pico. número máximo de infectados. 

A equipe médica trabalha na primeira loja de detecção de pacientes com crise respiratória nesta segunda-feira, como uma medida de combate à pandemia de coronavírus, em Brasília (Brasil).  Brasil, o país latino-americano mais afetado pela pandemia, contabi

Embora “não haja certeza de ter chegado”, o chefe do Ministério da Saúde explicou que “esses dias serão cruciais”. Acima de tudo, após o dia mais negro da epidemia foi registrado neste domingo, com 462 mortes a mais do que nas 24 horas anteriores, atingindo um total de 4.517 casos. Isso supõe, no entanto, um crescimento de 14%; o mesmo que no sábado, algo que aponta para uma estabilização do número de pessoas afetadas. 

O porta-voz do governo na crise da saúde quis transmitir otimismo, fornecendo alguns “dados encorajadores”. Apesar do aumento de infectados e de mortes, o número de pacientes recuperados agora é de 3.355 pessoas, 780 a mais que no dia anterior. 

Quanto às UTIs, uma das principais preocupações das autoridades de saúde devido ao risco de colapso, Simón explicou que 2.355 pacientes permanecem nessas unidades. 

Por comunidades, Madri é a região mais afetada, com 10.575 pacientes e um total de 1.263 fatalidades. É seguido pela Catalunha, com 5.925 infecções, e o País Basco, com 2.421 pessoas. A Andaluzia está se aproximando desses números, com 1.961 pacientes; a Comunidade Valenciana, com 1.901 infectados, e a Galiza, com 1.208, as únicas regiões que até agora superaram a barreira de 1.000 pacientes.

Fonte: BLOG A VOZ DO POVO-DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here