Latam pede recuperação judicial nos Estados Unidos

Grupo Latam Airlines pediu recuperação judicial nos Estados Unidos nesta terça-feira por causa da crise do novo coronavírus

O Em comunicado oficial, a empresa afirmou que “anuncia reorganização para garantir sustentabilidade no longo prazo”. Segundo a nota da empresa, “Argentina, Brasil e Paraguai não estão incluídos no processo de reorganização pelo Capítulo11. A entidade da LATAM no Brasil está em discussão com o governo brasileiro sobre próximos passos e suporte financeiro às operações brasileiras”. O Capítulo 11 faz parte da lei de falências dos EUA e permite um prazo para que as empresas se reorganizem financeiramente.

A Latam diz que as afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos
solicitaram proteção voluntária pelo processo de reorganização financeira previsto no
Capítulo 11 da lei dos EUA.
O CEO da Latam, Roberto Alvo, afirmou que “a Latam entrou na pandemia de covid-19
como um grupo de companhias aéreas saudável e lucrativo, mas circunstâncias
excepcionais resultaram em um colapso na demanda global que não apenas levou a
aviação a praticamente uma paralisação, mas também mudou o setor para o futuro
próximo”.

Alvo disse que:

“esse caminho é a melhor opção para estabelecemos as bases certas para o futuro do nosso grupo de companhias aéreas. Estamos olhando adiante, para um futuro
pós-covid-19, e focados em transformar nosso grupo para que ele se adapte a uma nova e evolutiva maneira de voar, com a saúde e a segurança de seus passageiros e funcionários em primeiro lugar”.

A Latam afirma que garantiu o suporte financeiro de acionistas, incluindo as famílias
Cueto e Amaro, e a Qatar Airways, para a obtenção de até US$ 900 milhões (R$ 4,9
bilhões) em um financiamento DIP (debtor-in-possession, em inglês).
Como ficam clientes, funcionários, fornecedores e agências de acordo com a nota da companhia aérea, a Latam e as afiliadas continuarão operando voos de passageiros e de carga, sujeitos a restrições de demanda e de viagem.

Além disso, as passagens atuais e futuras, vouchers de viagem, pontos e benefícios do programa LATAM Pass, bem como políticas de flexibilidade, serão respeitados.
Do ponto de vista dos funcionários da empresa, a Latam diz que eles continuarão sendo
pagos e receberão os benefícios previstos em seus contratos de trabalho. O texto diz ainda que as agências de viagens e outros parceiros comerciais não sofrerão interrupções em
suas interações com o grupo Latam. Anúncio vem após demissões e retomada de operação gradual Nas últimas semanas, a Latam anunciou a destituição de 1.400 funcionários de suas filiais no Chile, Colômbia, Equador e Peru, que se somam ao programa de aposentadoria voluntária de 800 pessoas em todas as suas filiais.

A companhia aérea chileno-brasileira, maior da América Latina, anunciou na última
semana que retomaria em junho as operações de forma gradual. O plano divulgado era de
aumentar de 5% para 9% a capacidade operacional e com tarifas reduzidas.
Segundo o anúncio da retomada de operação, a Latam vai reabrir quatro rotas
internacionais do Brasil para Frankfurt, Londres, Madri e Miami. No Chile, a empresa vai
retomar os voos para São Paulo e Miami. Em julho aumentará a 13 os destinos
internacionais.

Com informações http://blogavozdopovo.com.br/

Fonte: UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here